TASCAS & Tabernas de PORTUGAL

"Google My Maps" - TASCAS & Tabernas de PORTUGAL

 

As "Tascas" eram, num passado recente, locais de eleição para dar asas à alegria e boa disposição, associando-o à boa "pinga" e petiscos. Algumas delas, como é o caso aqui dado ao écran, foram objecto de um "upgrade cultural" e eis-nos à procura, no todo nacional, por estes sítios onde o povo dá largas à sua alegria. Poucas se mantiveram até hoje, mas face ao seu lado exótico, vamos dar a conhecer as várias tipologias que ainda permanecem no todo nacional. Ao Delfim dos Arcos de Valdevez e sua Família, este possível Tributo e que se estende às gentes do Alto Minho.

Guia das TASCAS & TABERNAS de Portugal

Viaje até ao Portugal Profundo e conheça as verdadeiras raizes do nosso país. Visite espaços mais rusticos, tradicionais e castiços onde pode comer bem, beber melhor e trocar dois dedos de conversa.



PORTUGAL Notável sempre em VIAGEM consigo!.


Os Locais mais autênticos e castiços do nosso País

"À memória de meus pais, que da tradição me fizeram. Aos meus filhos, às minhas netas, Carolina e Laura, que da tradição sejam herdeiras."

Viaje até ao Portugal mais profundo, e de VALENÇA a SAGRES com recurso às 14 ROTAS 4x4 aqui disponiveis neste editorial on line "PORTUGAL Profundo - www.portugalprofundo.com", e conheça as verdadeiras raízes do nosso país.

Visite os espaços mais rusticos e castiços onde pode comer bem, beber melhor e trocar dois dedos de conversa.

Falamos de facto de tascas e tabernas, mas hoje, estas deram lugar aos restaurantes tradicionais. É desses que por aqui se falam.

Não são iluminados por candeias ou por um petromax, nem apresentam cenários tanoeiros, com mobilias de madeira encardida. Pelo Contrário.

Na sua maioria, guardam memórias de outros tempos vividos, em particular no Alentejo, onde ainda prevalecem a genuina amizade e a convivencia, mormente das classes sociais rurais. No Minho e em Trás-os-Montes recupera se o legado tasqueiro, traduzido em rotas com regras. 

Se bebe para esquecer...pague antes de beber!

 

 

Depois de um dia de "jorna", estes eram pontos de encontro inevitáveis, nos quais se partilhava a bebida e se carpiam mágoas e discussões. 

Actualmente encontram se em vias de extinção.



ENTRE - DOURO - E - MINHO



A TASCA DO DELFIM

Propriedade de Delfim Pereiras Amorim, eximio tocador de acordeão e concertina. O meu primeiro olhar penetra na tasca através das vidraças da porta de entrada. Quando atravesso a porta, deparo me com um autentico museu de concertinas. E não só. Tudo o que me rodeia obriga me a prolongar o olhar pelas paredes e pelo teto, totalmente cobertos pelos mais variados objetos da tradição popular portuguesa: acordeões e concertinas (mais de oitenta, segundo o mestre DElfim), recortes e imagens.

Rua da Praça, 45 - Arcos Valdevez - MINHO

Tlf: +351 258 515 390

Preço Médio 5€

..............................................................

- "Sente-se, homem!", desafia o anfitrião, quando ainda estou com o olhar perdido nos instrumentos musicais multicolores de fole e palheta livre.

Acedo ao convite. Homem rijo do Norte, brejeiro e de sorriso franco e aberto, desfia a sua vida sem que eu lhe tivesse feito alguma pergunta:

- "Comecei a tocar aí por volta dos cinco anos, com uma concertina que o meu pai trouxe da América. Não havia rádio, nem televisão, por isso entretinha me a  tocar de ouvido. Em 1964, comprei a minha primeira concertina, na Feira da Ladra, em Lisboa, por mil e seiscentos escudos. Fui para lá trabalhar com o unico objetivo de comprar o instrumento. Regressei à minha Terra só com dinheiro suficiente para a viagem. Mais tarde, em 1973, fui de propósito a Lisboa, num carro de praça, para comprar uma Cooperativa Stradella, que me custou três contos"

Enquanto escuto as suas histórias, chegam me à mesa uma malguinha de vinho verde tinto e umas belas pataniscas. Ainda com meia patanisca por mordiscar, sou brindado espontaneamente com uma modinha regional, brejeira quanto baste.

Com a entrada de outros viajantes e de fregueses assíduos, a alegria e a confraternização tomam o tasco de assalto. Os tocadores exibem se e o canto ao desafio toma conta das vozes. Delfim elucida me: "todos os acordeões e concertinas estão prontos a sere usados; basta que cada um tenha o dedo afinado".

Apesar do verde tinto não me cativar tanto quanto os vinhos Alentejanos, tenho de reconhecer que, depois de quatro malguinhas bem servidas, despertaram se em mim outros prazeres. As pataniscas ao cuidado da Dª Maria, esposa de Delfim, estavam imaculadas. Ou seriam apenas efeitos deste vinho regional, curiosamente mais sazonal do que o branco?

É esta a beleza do MINHO: uma surpresa a cada canto, uma tradição a cada esquina, uma Tasca do Delfim. Basta que estejamos dísponiveis para receber diferentes nusicas, mesmo que não sejam essas as pautas nas quais nos costumamos mover.


A VIDEIRA

Se estiver bem perto de Arcos, na Freguesia de Soajo, recomenda se uma visita ao "Videira", um Restaurante Rustico de granito, com lareira, caracteristicas que o tornam incrivelmente acolhedor. O serviço revela se familiar e simpático; a cozinha é esmerada na arte da confeçao.

Laje - Soajo - Arcos de Valdevez - MINHO

Tlf: +351 258 576 205

Preço Médio: 15/20€


O MATADOURO

"Não é ele, é o vinho!"

Guilhadeses - Arcos Valdevez - MINHO

Tlf: +351 258 515 000

Preço Médio: 15€

............................................................

Continuando por terras Minhotas, chego a Arcos de Valdevez, uma típica Vila do Alto Minho, situada no Vale do Vez. É ladeada por uma natureza soalheira de lânguidas encostas e por um rio que marca a vida Arcoense, onde o vinho amadurece e o sol se põe.

Nesta histórica Vila, onde se travou em 1140 o Torneio de Valdevez, que opôs D.Afonso Henriques a Afonso VII de Leão, vou caminhando por ruas repletas de antigas casas senhoriais.

Sigo em direçao ao antigo mecado municipal, onde encontro o MATADOURO, um Restaurante de ambiente acolhedor, bem posicionado à beira-rio e rico em comida regional.

Enquanto aguardo pela carta, vou apreciando o rio Vez e toda a sua paisagem envolvente.

Revejio a história desta casa, situada no antigo matadouro, e preparo me para receber os aromas que se escapam da cozinha.


TASCA DO AÇOUGUE, Montalegre

O vinho é uma poesia engarrafada

"Google My Maps"

Terreiro do Açougue - Nº7, Montalegre

TRÁS-OS-MONTES

Tlf: +351 276 511 164

Preço Médio 15€

...............................................................

Montalegre é um dos dois concelhos, juntamente com o de Boticas, que constituem as Terras do Barroso, no coração de Trás-os-Montes. Aqui, vive gente laboriosa, alegre, hospitaleira e orgulhosa de ser do Barroso. Quem cá chega procura essencialmente a cozinha, a carne Barrosã, os fumeiros ou o cabrito montanhês.

Junto ao castelo (que, juntamente com o Castelo da Piconha, próximo de Tourem, e o Castelo de Portelo, em Sendim, integrava o conjunto defensivo das Terras de Barroso), descortinam se as serras do Gerês e do Larouco e o rio Cávado, e é aqui que encontro uma lindissima casa de granito e de madeira, com um dístico à porta que me indica o destino da minha jornada: a Tasca do Açougue. 



CAÇANA - Tapas & Petiscos

Sabores autênticos que este nosso país sabe preservar, mãos santificadas que este inacreditável povo continua a elevar, fornos ardentes acendidos por gente que nos aquece, memória cravada no tempo que nas aldeias não se esquece.

"Google My Maps"

 Estrada de Espantar, Nº1036 | 4925 - 481 Montaria - Caminha - MINHO

GPS: 41.794401, -8.740782

INFO Line:  969 188 304  | cafe.cacana@hotmail.com

Preço Médio: 5€ a 15€

...................................................................

Com a serra de Arga e o oceano como paisagem de fundo, uma refeição no Caçana é uma aventura gastronómica onde pode apreciar verdadeiramente a Natureza que o rodeia. Conhecida pelo seu champarrião, é um local com petiscos que não encontra em mais nenhum lado no país.

ORA AQUI ESTÁ A VERDADEIRA!

Se fosse um palito de madeira de carvalho com verniz estaladiço ladeado com dois salpicos de saliva de leão com um fósforo oriundo de lugar nenhum em lume que não se vê nem com o olho a nu, teria uma estrela do franciu! 

Por isso, digam a todos que esta terra está encantada, pelos livros de paginas verdes, com linhas escuras, de penas de ferro e animais mansos perto de gente mais nobre que o trono das cidades.


TABERNA da "TI ANA da EIRA"

Taberna da Eira - Parada do Outeiro - Montalegre

Parada do Outeiro - Montalegre

Situada num cenário paradisíaco, em pleno Parque Nacional da Peneda-Gerês, a Taberna da Eira é um autêntico miradouro sobre a paisagem. A cozinha rende homenagem aos produtos locais e ao receituário regional. Aberto ao público em 2015.

Preço Médio: 12€

Horário de Funcionamento: Sábado e domingo das 12:00 às 23:45.

GPS:  41°47'47.87"N | 7°56'31.47"W

............................................................

Tome nota:

tabernaeira@gmail.com

935 720 842

...........................................................