ETAPA 5 - "PEDRAS SALGADAS - PESO DA RÉGUA - 158 Km, 03.2018 - "ROTA DAS ALDEIAS MÁGICAS"



PORTUGAL é ISTO!.....e ISTO É TANTO!!!

Um DESAFIO Off Road em grande!

Nesta rota pelo Parque Natural do Alvão, conheça as suas aldeias mais pitorescas, onde espigueiros, eiras, construções em granito com telhados de colmo, e em xisto com telhados de lousa, são a imagem da sua arquitectura popular. As gentes que aqui vivem moldaram a paisagem ao longo dos séculos, vivendo da agricultura e da pastorícia, fazendo agricultura em lameiros e socalcos num cenário verdadeiramente encantador. 

 


AVENTURA TE!..SAI DA CASCA!!...


By Paula Abreu


No fértil vale do rio Póio, o verde impera. Mas são as aldeias que surpreendem. Agunchos, Limões ou Cabriz têm um caráter muito próprio e um importante património. Estas belas aldeias são ponto de paragem obrigatório num passeio pelo concelho de Ribeira de Pena.

  • CONCELHOS A PERCORRER

    Pedras Salgadas
    Vila Pouca de Aguiar
    Ribeira de Pena
    Mondim de Basto
    Vila Real e Mesão Frio

  • SERRAS A NAVEGAR

    Serra da Padrela
    Serra do Alvão
    (Parque Natural)
    Serra da Falperra
    e Serra do Marão

  • Pelas Aldeias Mágicas do Portugal Profundo...

    Apesar de estarmos no ambiente peculiar e restrito de aldeias, muitas vezes no interior do país, esse fator foi decisivo nas histórias que queremos mostrar.


WP 01 - PEDRAS SALGADAS

UMA DESCOBERTA SAUDÁVEL: Entre nesta viagem e descubra águas e cuidados exclusivos ao encontro do mais puro bem-estar.


WP 02 - Aldeia de AFONSIM

Igreja Paroquial de Afonsim

AFONSIM foi uma freguesia portuguesa do concelho de Vila Pouca de Aguiar, com 11,07 km² de área, situada no planalto da Serra do Alvão, 5 km a noroeste da sede de concelho. Incluía no seu território os seguintes lugares: Afonsim, Reguengo e Trandeiras. Foi extinta (agregada) pela reorganização administrativa de 2012/2013 sendo o seu território integrado na freguesia do Alvão.

 

Privilegiando o contacto com a natureza, com as populações e os modos de viver rurais, com as delícias gastronómicas e o artesanato regional, as "Aldeias Mágicas" deste "PORTUGAL Profundo" propõem-nos um turismo diferente. Levam-nos a locais de sonho, onde ao lazer, à tranquilidade e ao bem-estar se acrescenta a possibilidade de fruição do país mais profundo e autêntico.

14 ROTAS 4x4, By Paula Abreu


WP 03 - Aldeia de TRANDEIRAS

Este é um vale de terra rica e muita água, onde a agricultura ainda hoje é a atividade dominante, porque terras tão férteis não se podem deixar vazias. Há linho, cereais e pasto para as vacas de raça maronesa. E, por isso, estas sempre foram aldeias ricas. O seu património é a prova disso.


– Trans-Lusitania Off Road - Valença a Sagres - Este é um conceito novo, que adquire sentido e profundidade neste mundo que nos leva à descoberta das origens.



WP 04 - Aldeia de BUSTELO

BUSTELO A aldeia serrana, a 850 metros de altitude, situa-se numa das encostas da Serra do Alvão, onde ainda predomina o cultivo dos campos e a criação de gado bovino maronês. É a última aldeia do concelho de Ribeira de Pena para quem segue para o concelho vizinho de Vila Pouca de Aguiar. A estrada até à aldeia é a subir e os campos que a rodeiam, murados em pequenas áreas, desenham uma paisagem característica. Este percurso vai levar-nos por caminhos agrícolas e florestais de onde se avistam as belas paisagens do concelho. É, também, desta aldeia que se inicia o Fantasticable - Cabo de descida por gravidade que nos leva até ao Penaaventura Park. Este local representa um magnifico miradouro sobre grande parte do concelho de Ribeira de Pena.

 


WP 05 - Aldeia de VIDUEDO

O Parque Natural da Serra do Alvão fica no distrito de Vila Real, em Trás-os-Montes e é um parque de uma beleza imensa, com cascatas, lagoas, paisagem graníticas e pequenas aldeias perdidas pelos vales, tais como: aldeia de Dornelas, cascatas das Fisgas do Ermelo, aldeia de Anta, Lamas de OLO, ou ainda as aldeias de Barreiro e Ermelo.

 


WP 06 - Aldeia de ANTA

As Aldeias de ANTA e PIOLDEDO integram a Freguesia de BILHÓ

- Sabores autênticos que este nosso país sabe preservar, mãos santificadas que este inacreditável povo continua a elevar, fornos ardentes acendidos por gente que nos aquece, memória cravada no tempo que nas aldeias não se esquece.

Aldeia de ANTA


WP 07 - LAMAS DE OLO

Uma joia em pleno Parque Natural do Alvão

ALMA LUSITANA!! ...a Terra e o Homem...

Uma joia em pleno Parque Natural do Alvão, é assim Lamas d' Olo, uma aldeia do concelho de Vila Real. Logo à chegada, salta à vista o casario em granito em que muitas das casas conservam ainda os telhados de colmo.

A forte imagem rural destas casas antigas é complementada pelos canastros espalhados pela aldeia que merecem uma visita. Além do Parque natural do Alvão, que a rodeia, Lamas d’Olo é cercada por lameiros e campos de cultivo com características muito próprias.

Deixe-se encantar por este exemplo do Portugal rural e observe a prática dos regadios, que permite pastos todo o ano. Ainda hoje, aliás, os animais desempenham um importante papel nesta terra, sendo a pastorícia uma atividade comum.

 

Aldeia de Bobal

Numa visita a esta aldeia, observe o quotidiano que imita as tradições de outros tempos. Embrenhe-se na natureza e prepare-se para percorrer um dos vários percursos pedestres aqui identificados e sinalizados.

A água é também um elemento indissociável da vida desta pequena povoação: ali perto encontra duas barragens – Cimeira e Fundeira do Alvão - com duas albufeiras a partir das quais se avistam os altos cumes do Alvão e do Marão.

O Miradouro de Lamas d' Olo e o Parque de Merendas da Barragem Cimeira são também pontos de passagem obrigatórios! Mais longe, mas a escassos quilómetros, merece visita uma das maiores quedas de água de Portugal: as Fisgas do Ermelo.


WP 08 - Aldeia de BARREIRO

Miradouro da Aldeia do BARREIRO

- MIRADOURO DA ALDEIA DO BARREIRO -

O miradouro do Barreiro situa-se um pouco antes de chegar a esta povoação e possui uma mesa de orientação em granito, que ajuda o visitante a interpretar a paisagem que tem perante si: uma vista imponente sobre o vale e ribeira de Fervença e sobre os campos agrícolas construídos em socalcos, marca de uma ocupação inteligente mas árdua do território. Daqui se avista ainda o conhecido Monte de Farinha (alto da Senhora da Graça) em cujo topo se localiza o Santuário da Nossa senhora da Graça, a cerca de 1000 metros de altitude.

 

Aldeia de BARREIRO - Parque Natural do Alvão


WP 09 - Aldeia de ERMELO

Aldeia MILENAR de ERMELO

- De origem milenar, a aldeia de Ermelo conserva um admirável património construído, onde se destaca um importante aglomerado de casas de xisto cobertas com lousa, verdadeiros exemplares de arquitectura rural.

Situada na zona mais baixa do Parque Natural do Alvão, a beleza paisagística de Ermelo, une o agreste da montanha com o verde dos campos agrícolas e a água do Olo corre-lhe aos pés.

Estão ainda visíveis marcos da sua história, da sua antiguidade e da sua importância como vila medieval e como sede de concelho. O Pelourinho, a Casa da Câmara e o rico património etnográfico e cultural são dignos de nota. Teve o seu primeiro foral no longínquo ano de 1196. Está a uma cota de 445m e dista 18km da sede do concelho. Local: Mondim de Basto

 

PORTUGAL Notável sempre em VIAGEM consigo!.

É aqui onde tudo começa, onde o olhar se arremessa, à paisagem feita miragem, onde a vontade se mistura com a liberdade, onde o querer se envolve com o "viver", onde o tempo é o nosso companheiro, onde a sua amizade, que ostento, me deixa sempre chegar primeiro. E, por fim... acaba aqui... a caminhada... e o que escrevi.



WP 10 - Aldeia de CABRIZ

As belas aldeias de montanha…

Cabriz é também ela uma das belas aldeias de Ribeira de Pena. Apesar de pequena, conta com casas imponentes. Mas aqui não há brasões a dizer-nos que estamos perante casas da nobreza. Estas são casas de lavradores e mesmo de brasileiros e os dois tipos dão testemunhos das riquezas que os seus habitantes conseguiram.

Uns fizeram-no ali mesmo, trabalhando as férteis terras do vale do Póio. Outros, tiveram de rumar a outras paragens. Emigraram para o Brasil no século XVIII e aí conseguiram fortuna. Regressados ao ponto de partida, erigiram imponentes casas que, por isso mesmo, são conhecidas em todo o lado como casa de brasileiro.

Só que aqui em Cabriz como em todas as belas aldeias do concelho, os seus proprietários não optaram por uma arquitetura há época moderna que normalmente identifica as casas dos torna-viagem, mas antes preferiram copiar a imponência das casas dos lavradores e mesmo as de alguns solares.



WP 11 - Ponte Romana RIO POIO - ALVITE (Cerva)


Um recanto mágico que nos acolhe, uma simplicidade natural que não nos tolhe, uma magia colorida que nos agarra...

...luz de uma obra humana que nem o tempo se atreverá a apagar. É maravilhoso este Portugal Rural, que a ninguém ousa fazer mal e que a todos, sem fim, proporciona momento assim, de pura autenticidade que se transforma em felicidade....



WP 12 - Aldeia de CADAVAL

As aldeias de montanha são completamente diferentes...

"Sou assim, um pedaço de território que ama esta maravilhosa preservação da nossa autenticidade, sou assim, um pedaço de história mergulhado na ruralidade."

Subindo a serra a partir de Cabriz, a paisagem vai-se modificando dramaticamente. O verde dos campos férteis do vale é substituído pela vegetação rasteira das encostas batidas ao vento. A urze e a carqueja imperam numa paisagem deslumbrante. Aqui em cima, a agricultura que se faz é outra, de subsistência, e a pastorícia é uma das principais atividades.

Por isso, é preciso cuidado na estrada ao subir-se a serra, porque nos podemos facilmente deparar com um rebanho de cabras ou mesmo com vacas a seguir pachorrentas o seu caminho ou mesmo a aproveitar o alcatrão para descansar.



WP 13 - Aldeia de MACIEIRA

Dia de Chuva em Macieira...

Lá em cima, estão as aldeias de Macieira e de Alvadia, onde a pedra negra contrasta com o granito mais claro do vale. Aqui também não se encontram casas ricas, mas a tradicional arquitetura popular. No meio de dias de calor intenso, tivemos azar quando nos deslocámos ao alto da serra e fomos surpreendidos por uma carga de água das antigas.

 

Amo amar esta terra doce salpicada por um mar salgado, amo enrolar-me nas teias da verdade que nos carateriza, amo saborear o toque das mãos lusitanas que resistiram à fuga e aos sinais dos tempos....



WP 14 - Aldeia de BOBAL

O caminho das pedras é DIFÍCIL...mas cheio de POESIA... Para se descobrir novas trilhos, deve-se estar disposto a perder a terra de vista por um longo tempo.



WP 15 - Aldeia de DORNELAS

Sou um monte de pedras encaixadas, dirão uns, sou um diamante disfarçado de simplicidade que não se vende, não se troca, não se multiplica, sou a riqueza daqueles que vivem para sentir e dos que sentem para viver, sou assim uma simples aldeia repleta de um monte de pedras onde os teus olhos brilham e a minha alma canta, onde tudo se engrandece perante a portucalidade que nos encanta.



WP 16 - FISGAS DO ERMELO

A visita ao Parque Natural do Alvão não ficará completa sem uma passagem pelas famosas quedas de água, conhecidas como Fisgas de Ermelo, onde se precipita o rio Olo.

Correndo inicialmente numa zona de planalto, as águas do Olo encaminham-se para um vale mais apertado e precipitam-se, numa queda de aproximadamente 300 metros, por entre dobras e fraturas de um afloramento xistoso criando um cenário paisagístico único.

 

Esta Rota, permite conhecer um pouco da bonita Serra do Alvão e uma das suas paisagens emblemáticas, as Quedas de Água de Fisgas de Ermelo, sendo uma autêntica descoberta da alma do Alvão. O percurso atravessa uma série de paisagens verdadeiramente surpreendentes que permitem mais uma vez confirmar aquilo que nós há muito desconfiávamos: Portugal é mesmo um dos países mais bonitos do mundo.



WP 17 - RIO OLO (PONTE)

Há quem diga que o interior é longe. Mas "longe" pode ser uma vantagem, quando precisamos de nos afastar do rebuliço das grandes cidades. Na realidade, "longe" pode ser o lugar onde nos ligamos ao essencial.


WP 18 - POSTO DE VIGIA

SERRA DA FALPERRA

Paisagens a perder de vista, silêncio generoso que nos abraça, sabores indescritíveis que nos enlaçam. Um Portugal rural maior que universo celestial, porque aqui o caminho não tem fim, porque aqui, eu sou um pouco de ti e tu és um pouco de mim.

 



WP 19 - Aldeia de CAMPANHÓ

Um país que tem aldeias que respiram saúde, que vivem do que produzem, que não pedem esmola, que dão identidade a Portugal, mas que se está a borrifar para a sua preservação, um país que cria hospitais privados como quem cria galinhas, e que encerra centros de saúde e que deixa morrer sem assistência quem a vida toda trabalhou, um país que vive de almoços na Capital à quarta-feira e que deixa morrer à fome quem trabalhou a vida inteira. Raios!

Este país, de gente nova que não quer cá ficar, é cada vez menos um espaço próprio para velhos que teimam em não se resignar.


WP 20 - Nossa Sra.Serra (Alto Marão) - 1413 m

Aqui o sagrado é fundamental, qualquer um destes povoados está sempre protegido por uma igreja, uma capela ou um cruzeiro, estruturas fundamentais para a celebração dos rituais religiosos que ainda hoje se mantêm vivos.



WP 21 - MAFÔMODES, uma Ideia da Natureza!

São longos os caminhos da nossa história, entre muros de pedras que se acumulam, entre rugas de mãos escravas que se esquecem, entre silêncios eternos que ninguém quer ouvir. Mas são caminhos nossos, tão nossos que não teremos coragem de os deixar, caminhos tão vastos que nos levam até onde os nossos sonhos permitirem e a realidade autorizar.

 

Serra do Marão - Mafomodes

"...Extende-se entre o Rio Tamega (Oeste)o Rio Corgo (Leste) o Rio Sordo (Norte) e o Douro (Sul). 

Tem uma geografia imponente, pelas suas abruptas encostas com grandes declives principalmente a voltada a Este para o eixo Vila Real - Sta Marta de Penaguião. 

Do ponto mais elevado (1415m) podemos ver Vila Real , Serra do Alvão (Vaqueiro 1315m) e a Sra da Graça (920m), assim como outros pontos elevados do próprio Marão, alguns dos quais nos permitem ver Mesão Frio e as serras que se seguem a sul do Douro. Existe uma infinidade de caminhos que cruzam esta Serra, dos quais o que percorre a sua crista mais elevada Norte-Sul,entre Seixinhos e a zona dos retransmissores TV..."



WP 22 - PESO DA RÉGUA

PESO DA RÉGUA

- Diz-me tu: gostas do que estás a sentir?

- Adoro. Sabes que adoro.

- Então mostra-me que adoras. Vá. Mostra-me que adoras.

 As mãos perdidas à procura de se perderem mais.

Nenhuma mão apaixonada sabe o caminho. 

E por isso procura, indaga. 

E encontra....

Se é para chegar ao FIM: desfruta do caminho!!