LA Codosera Piscinas Naturais - Badajoz

ROTA das Praias FLUVIAIS

Localizado no noroeste da província de Badajoz, o rio Gévora nasce no Parque Natural de São Mamede, no Alentejo Português. Entra na Extremadura, no município de La Codosera e a jusante, torna-se uma fronteira natural entre os dois países em muitas das suas secções, até que termina em Badajoz, no rio Guadiana.

AVENTURA TE!!!..SAI DA CASCA!

O Gévora preserva uma natureza extraordinariamente rica, sendo um dos ecossistemas fluviais mais bem preservados de toda a península.

By Paula Abreu

GPS: 39°14'17.92"N 7°12'14.01"W

As águas limpas e a densa aliseda abrigam espécies animais escassas como o Jarabugo, o Lagarto-de-garganta-preta, o Galápago Europeu ou a Lontra, entre outros, que o tornam um local de alto valor para a conservação da Biodiversidade, sendo declarado ZEPA (Área de Conservação Espacial das Aves) e ZEP (Local de Interesse Comunitário), além de estar incorporada na rede europeia de áreas protegidas "Natura 2000".

Mas o rio Gévora não é apenas a natureza, mas a partir de sua relação próxima e imemorial com o povo, surgiu uma valiosa herança antropológica que vale a pena conhecer e conservar. Exemplos disso são os sistemas agrícolas aplicados nas planícies férteis e baseados em pequenas represas e valas; arineros e moinhos de azeite movidos pela força da água. pontes e degraus de momentos históricos muito diferentes.

By Paula Abreu

Os valores da Gévora fizeram dele merecedor de fazer parte do projeto Corredores Ecofluviais da Provincia de Badajoz.

O Complexo das Piscinas Naturais do Río Gévora está localizado às margens do rio que lhe dá o nome.

É um lugar natural de grande beleza, que enche o visitante de sensações: o corpo está impregnado de frescura, os ouvidos deliciam-se com os cantos dos habitantes alados da floresta e com o arrulho do vento no topo dos amieiros e álamos o nariz aprecia a pureza da água e a fertilidade da terra e a vista é inundada de vegetação por toda parte.

A qualidade das águas do Gévora permite que seja o único rio de trutas na província de Badajoz, recebendo, a cada estação, a visita de muitos pescadores.